A luta nossa de cada dia




Quando cada leitor passar os olhos nesse título, questionará de que “luta” se trata. Será que é a luta diária de quase todos os brasileiros para conquistar seu salário, pagar suas contas, aguentar o chefe no trabalho e outras coisas que todos nós temos de alguma forma experiência. Mas não se trata dessas lutas caro leitor. Passamos dia após dia enfrentando a nós mesmos, numa luta às vezes cruel.

 A Programação Neurolinguística e também a Terapia Comportamental Cognitiva nos aponta que todos nós, de alguma forma, possuímos Crenças Limitantes ou Inadequadas operando em nosso pensamento e, consequentemente, em nosso comportamento. Estas são, possivelmente, adquiridas na mais tenra infância e são aprendizados simples que se tornam verdades absolutas, mesmo que elas sejam cruelmente modelos e conceitos não saudáveis e em muitas situações irracionais. Um exemplo muito comum de crença limitante é a que costumamos ter diante de desafios na vida, onde pensamos que não somos capazes e que nunca conseguiremos algo, mesmo que sejamos disciplinados e determinados. Muitas delas ainda suportam bravamente a confrontos com a realidade.

 Torna-se então, muito importante que nos questionemos sobre nossas decisões, comportamentos e, principalmente, nossas crenças e verdades. Pode ser que algumas delas estejam nos limitando, impedindo que alcemos voos melhores e maiores. 

Sair do automático para uma postura mais reflexiva torna-se uma necessidade na contemporaneidade para assim atingirmos uma autenticidade maior e fugir do “homem de má fé” de Sartre que decide não decidir. 

Vamos retomar o controle de nossas vidas, questionando nossas crenças e não permitindo que fantasmas do passado nos assombrem e decidam por nós. Erre por si mesmo. Acerte por si mesmo.

 Viva e experimente o novo. Aceite desafios, questione o inquestionável. Seja o produto de suas próprias escolhas e não produto da história dos outros.



Um forte Abraço.

Danilo Lopes da Silva

Formação: Psicologia
Áreas de atuação: Recursos Humanos, Ensino, Psicoterapia, Área Social e Educação Financeira.

.

CONVERSATION

0 comentários:

Postar um comentário

Back
to top